CDS: Saiba o que significa.

por Alexandre Marques
Analista de Investimentos

Provavelmente nesta última semana, cheia de turbulências, com dólar subindo e bolsa em queda, você deve ter ouvido falar também na alta do CDS brasileiro. Na quinta-feira passada, mereceu até uma nota do Vaticano, na qual o Papa Francisco fez uma crítica ferrenha sobre o mercado de derivativos, o qual chamou de “bomba-relógio”. E criticou, em especial, os CDS, que “tem encorajado o crescimento de finanças da sorte de apostas na falha de outros”.

Mas o que seria, então, um CDS ? A Nota do Papa e a sua valorização em momentos turbulentos já dão uma pista do que seja.

O CDS (credit default swap) é um tipo especial de swap, desenhado para transferir o risco de crédito de títulos de renda fixa entre dois ou mais participantes. São derivativos que funcionam como uma espécie de troca de risco de crédito. Um CDS pode ser de empresas ou de países. Neste texto, falaremos somente sobre o CDS de países.

Um CDS é um seguro em forma de um contrato de swap que, caso o país especificado no contrato não pague suas obrigações, o emissor do CDS é que fará o pagamento dessas obrigações ao portador deste seguro, o qual comprou títulos públicos daquele país.

Embora um CDS possa ser considerado uma maneira de eliminar risco, o próprio CDS embute em si um risco : o risco do comprador de que o vendedor do contrato não cumpra as suas obrigações, em caso de falência.

Imagine que o país ABC vende um título público pelo valor de US$ 10 milhões para pagamento em 5 anos. O banco XYZ compra esse título e, para se proteger de um eventual calote, vai até uma seguradora a procura de proteção contra o não pagamento deste título. A seguradora, por sua vez, faz a análise de crédito do país ABC e cobra 5 % do total da dívida (US$ 100 mil anuais) para lhe oferecer um CDS. Ao final destes 5 anos, no dia do vencimento do título público, caso o país ABC entre em default, ou seja, não honre o pagamento, quem irá pagar os US$ 10 milhões para o Banco XYZ será a seguradora. Caso o Banco XYZ receba normalmente o valor devido pelo país ABC, ele perde o prêmio pago. Já a seguradora, não realiza nenhum pagamento ao Banco XYZ e lucra os US$ 500 mil da operação.

O exemplo acima é só uma simplificação do funcionamento de um CDS. Este instrumento financeiro é negociado no mercado de renda-fixa em lotes de US$ 10 milhões de dívida do país de referência (país ABC). No contrato fica estabelecido que o comprador (Banco XYZ) irá periodicamente efetuar um pagamento pela proteção ao vendedor da proteção (Seguradora). Este montante é normalmente determinado em basis points (pontos base). Cada basis point é o montante anual de proteção que o comprador tem que pagar pela proteção do vendedor durante toda a duração do contrato e representa 1/100 de 1% (ou 0,01%) de US$ 10 milhões (ou US$ 1 mil). Portanto, no exemplo acima, este contrato CDS custaria “100 bps” resultante do pagamento anual de US$ 100 mil do comprador (Banco XYZ) para o vendedor da proteção (Seguradora). Estes pagamentos são feitos enquanto durar o contrato ou caso haja default do emissor da dívida (país ABC).

O preço de um CDS está relacionado com a probabilidade de um país não pagar as suas dívidas. Quanto maior o risco de crédito deste país, maior o valor do CDS. Por analogia, quanto menor o risco de crédito, menor o valor do CDS.  No caso dos CDS, quem determina o risco do país são os agentes que atuam neste mercado (investidores e possíveis compradores do risco de CDS). É importante lembrar que a negociação de um CDS é bastante complexa, não regulamentada e propensa a um elevador nível de especulação.

Quando aumenta a desconfiança em um país, maior o prêmio pago pelo comprador. Isto quer dizer que quanto maior o CDS, maior o risco de default e maior a taxa de juros que um país tem que pagar para que o mercado compre seus títulos. Cada país tem o seu o seu nível de risco, sendo os dos EUA o menor risco de default.

Não se pode esquecer que as agências de risco também tem um papel importante na determinação de um risco de default de um país, pois são as responsáveis por fazer uma análise criteriosa da situação econômica de cada pais e atribuir uma classificação a eles, dependendo do risco destes países não cumprirem suas obrigações.

Embora seja um ativo com um nível de especulação alto, as negociações diárias e a consequente variação dos preços dos CDS prestam um importante serviço como termômetro de confiança do mercado em um país.

Mais Lidas