Se é Renda Fixa, porque o valor do meu título do Tesouro Direto varia ?

por Alexandre Marques
Analista de Investimentos

As recentes notícias veiculadas pela imprensa informaram que o investimento no Tesouro Direto em maio pode ter tido perdas de até 11,6 %. E provavelmente, dependendo do título investido, você deve ter visto em seu extrato que os seus investimentos no Tesouro Direto apresentaram uma rentabilidade negativa no mês.

E, agora, o que fazer? Se na renda fixa já se sabe a priori qual o retorno, e se ele é baseado no pagamento de juros, porque o preço do meu título caiu? Será que estou perdendo dinheiro ?

Primeiro, para lhe tranquilizar, esta perda só se concretizará caso você faça o resgate do seu investimento antes da data de vencimento. Caso você permaneça com o título até o fim, você receberá exatamente o que foi pactuado na data da compra. Se, por exemplo, seu tesouro IPCA+ juros semestrais (NTN-B) foi comprado com uma remuneração baseada na variação da inflação medida pelo IPCA mais juros anuais de 5%, você receberá exatamente isto ao manter o título em carteira. Tenha em mente que a estratégia ao se comprar este tipo de título é exatamente esta : investir a longo prazo, protegendo seu patrimônio contra a inflação, receber uma parcela de juros e só resgatar o título no vencimento. Caso o título do Tesouro Direto Prefixado que você comprou pague 10 % de juros ao ano, será esta a remuneração que você receberá ao fim do prazo deste título, independente se a Selic cair para 4 % ou subir para 15 % ao ano, por exemplo.

Mas, então, porque a queda? Por que o valor dos meus títulos variam? A oscilação dos preços dos títulos Tesouro Prefixados e Tesouro IPCA ocorre diariamente, e depende de vários fatores, mas em especial da oscilação do preço dos contratos de juros futuros negociados na B3, os quais refletem o juro esperado para a data de vencimento do contrato. A isso se dá o nome de marcação a mercado.  Você provavelmente deve ter ouvido falar nela quando os fundos de investimentos atualizam suas carteiras pelo valor de mercado, para evitar que alguém faça um resgate de suas cotas e leve um valor diferente do real da carteira naquele momento.

Já o Tesouro Selic (LFT), atrelado ao juro diário Selic, acompanha a movimentação dos juros e, portanto, é o único título no Tesouro Direto em que não há marcação ao mercado. Os juros subindo, o Tesouro Selic paga uma remuneração maior, os juros caindo, menor.

Mais Lidas